A exposição que reúne presépios do mundo inteiro está de volta ao Rio

capa_site

O Centro Loyola de Fé e Cultura PUC-Rio organiza em parceria com a Paróquia São José da Lagoa a Exposição Deus Habita na Cidade, que reúne cem presépios vindos dos cinco continentes e de todas as regiões do Brasil. A mostra que foi vista por cerca de 80 mil pessoas em 2015, terá edição deste ano inaugurada no primeiro domingo do Advento, 27 de novembro, às 19h, e fica em cartaz até 6 de janeiro de 2017.

Além de representar a cena do nascimento de Cristo, os presépios apresentam traços da cultura e da história de seus locais de origem. Do Japão, vieram Maria, José e o Menino Jesus feitos em madeira de bambu, com olhos puxados e vestidos de kimono. No presépio do Cazaquistão, a estrebaria dá lugar a um tipo de cabana típica das regiões rurais do país. As referências estão tanto na forma de esculpir ou montar as peças, quanto nos materiais utilizados, como o couro das renas, do Canadá, ou o pelo de uma cobra, da Ilha de Java.

O artesanato popular brasileiro também estará presente na mostra, com peças adquiridas em diferentes estados, principalmente Minas Gerais. Além da cultura, o destaque neste caso vai para a diversidade natural do país, em peças confeccionadas com as sementes de plantas da Amazônia; as conchas e o côco das praias da Bahia; a palha e a buchinha de Minas; o capim dourado do Centro-Oeste, entre outros.

A mostra também reúne presépios que fogem da cena tradicional e apresentam o imaginário dos artistas sobre o cotidiano da Sagrada Família. Um deles traz Maria adormecida ao lado do Menino; em outro, Jesus brinca de puxar a barba de um José sorridente; outra peça traz José com um prato de sopa nas mãos; e há até mesmo a representação de Jesus com seus avós Ana e Joaquim.

História do Presépio

Uma das primeiras representações de Maria com Menino Jesus nos braços foi encontrada em um mural pintado nas Catacumbas de Priscila, em Roma, e data do século III d.C. Outra representação importante da Natividade vem do ano 350 d.C, quando o Papa Libânio ordenou a construção da Igreja Santa Maria ad Praesepe, hoje Santa Maria Maggiore, também em Roma. Pelos séculos, a imagem da Madonna com o menino inspirou artistas e foi recriada em ícones bizantinos, pinturas renascentistas e diferentes escolas de arte sacra. No entanto, foi São Francisco de Assis quem ajudou a popularizar a representação do nascimento, ao recriar a cena do Cristo que nasce pobre, entre os animais, colocado em uma manjedoura. Desde então, todos os anos, famílias do mundo inteiro, católicas ou não, montam seus presépios mantendo uma das mais importantes tradições natalinas.

A exposição pode ser visitada das 8h às 20h, na Paróquia São José da Lagoa, localizada na Avenida Borges de Medeiros, 2.735.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *