Tecendo a(fe)tos

A partir da espiritualidade inaciana e da tradição dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola, a releitura da própria vida, num processo coletivo de vivências e de acompanhamento pessoal e em grupo, visa a conhecer as motivações pessoais de cada indivíduo e seus processos de enunciação, para mais amar e servir no mundo, dispondo e orientando seus desejos e esforços para viver como homens e mulheres para os demais e com os demais, na perspectiva daqueles(as) que buscam e escolhem, sempre e em todas as coisas, o bem mais universal.

O que desejamos

Entre os afetos e as determinações; entre os porquês, que nos fazem buscar as causas arraigadas no passado, e os para quês, que nos projetam para o futuro; entre a culpa, que geralmente nos paralisa, e a responsabilidade, que nos projeta; reler nossas histórias pessoais, discernindo caminhos que nos ajudem a lançar as bases de um Projeto de Vida que seja coerente, legítimo e sustentável.

Proposta

Tornar mais conhecida a espiritualidade inaciana e o modo de proceder da Companhia de Jesus, facilitando um processo de crescimento humano e afetivo aos participantes do Projeto. Assim, por meio da pedagogia inaciana e do carisma dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola, serão desenvolvidas oficinas que objetivam propor reflexões e vivências individuais e em grupo, com vistas ao aprofundamento de um conhecimento pessoal e coletivo, passando pela elaboração da escrita da Autobiografia e de um possível Projeto de Vida para cada participante.

Programa

Na perspectiva dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola, as vivências serão propostas periodicamente, de maneira individual, e, na sequência, em partilhas por grupos menores, com a presença de um acompanhante. Nove temáticas serão abordadas, no intuito de estimular, pessoal e coletivamente, a percepção de afetos e determinações internas, conforme as distintas dimensões da vida a serem relidas e examinadas. O ponto de partida será sempre a provocação de um nível existencial que levará cada indivíduo a elaborar sua Autobiografia (ao final dos 5 primeiros encontros) e, posteriormente, seu Projeto de Vida.

As vivências estão pensadas de modo a dinamizar, passo a passo, os temas propostos. Nesse sentido, a apropriação primeira será individual e, num segundo momento, por partilhas e acompanhamento periódico de pequenos grupos. O pressuposto inicial, portanto, até o quinto encontro, é uma releitura da vida, em suas várias dimensões: pessoal, social, afetivo-sexual, profissional, vocacional. A continuidade do processo levará, consequentemente, à elaboração de um possível Projeto de Vida, marcando um crescimento dos processos internos e das competências pessoais e coletivas.