Exercícios Espirituais

A espiritualidade inaciana nasce e se fundamenta na experiência de Inácio de Loyola: os Exercícios Espirituais. Trata-se de um caminho para potenciar o encontro de toda pessoa com seu Criador e Senhor, com o objetivo de que cada indivíduo possa ser um “contemplativo na ação”, ou melhor, que desenvolva uma sensibilidade para “encontrar Deus em todas as coisas e todas n’Ele”.

Tal disposição interior se dá “à medida que percebo que quem age, quem trabalha no mundo, em todos os níveis, é o próprio Deus e quero ser seu colaborador”. Como dizia o P. Nadal, um dos primeiros jesuítas, “o mundo é a nossa casa”. O P. Peter-Hans Kolvenbach, um dos Padres Gerais da Companhia de Jesus, também acrescentou: “um mosteiro estável não nos serve, porque recebemos o mundo inteiro para lhe comunicarmos a Boa-Nova. Não nos encerramos no claustro, mas permanecemos no mundo, no meio da multidão de homens e mulheres que o Senhor ama, desde que estão no mundo”. E, para completar, o Decreto 2 da Congregação Geral 35ª da Companhia de Jesus nos diz:

São todos estes homens e mulheres que centram a nossa atenção, para o diálogo e para a proclamação, porque a nossa missão é a da Igreja: descobrir Jesus Cristo nos lugares onde, até agora, não nos temos apercebido d’Ele e revelá-Lo onde, até agora, não foi visto. Por outras palavras: procuramos “encontrar Deus em todas as coisas”, seguindo o que Santo Inácio nos propõe na “contemplação para alcançar amor” (Cf. EE 230-237). O mundo inteiro transforma-se em objeto do nosso interesse e da nossa preocupação.

Por isso, é essencial que a espiritualidade inaciana esteja presente e dê sentido a todas as atividades que desenvolvemos, pois não realizamos tarefas, mas colaboramos na missão de Cristo, na tentativa de agir segundo seu modo de proceder. Não falamos apenas de Deus, mas procuramos atuar com e como Ele. Assim, esperamos que os que se aproximam do Centro Loyola de Fé e Cultura sintam-se acolhidos e respeitados em sua dignidade e sentidos de pertença. Afinal, todas essas atitudes nascem da experiência do encontro com a pessoa de Jesus Cristo e inspiradas nos Exercícios Espirituais.

Por essa razão, a espiritualidade inaciana proporciona inúmeros modos de nos aproximar de Deus. É conveniente, então, que todas as atividades, por mais diversas e contextualizadas, sejam permeadas por elementos próprios do nosso modo de proceder e manifestem nossa Identidade e Missão, como Casa Aberta e como Plataforma de Projetos. Em outras palavras, evidenciando esta Obra da Companhia de Jesus estreitamente ligada à PUC-Rio, braço estendido às comunidades e ao entorno da Universidade, com seu calendário de atividades acadêmicas e de iniciativas pastorais próprias.

Nesse sentido, antes de propormos uma programação repleta de atividades, vale lembrar a importância de discernirmos qual é o fim que queremos atingir e elegermos os meios mais adequados, tanto quanto nos ajudam (Cf. EE 23) para facilitar a experiência daqueles que nos procuram. Evidentemente, para isso, não é necessário falar dos Exercícios em todas atividades. No entanto, tudo o que realizamos tem seu impacto e responsabilidade social na vida das pessoas e no meio em que nos constituímos. Destacamos algumas atividades oferecidas pelo Centro Loyola ou por iniciativa da Universidade:

Exercícios Espirituais para Jovens (EEJ)

Os Exercícios Espirituais para Jovens (EEJ) são uma adaptação, em 5 Etapas, dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola a um público jovem. Como sabemos, os Exercícios sãoa grande preciosidade que podemos oferecer aos jovens. Para tanto, elaboramos O Guia Inspirador, ou seja, um livro que propõe algumas orientações, sugestões e metodologias que podem facilitar a elaboração da dinâmica dos EEJ em 5 etapas, levando em consideração “as pessoas, os tempos, os lugares e as circunstâncias”.

A 1ª Etapa dos EEJ é uma fase preparatória para os exercitantes. O objetivo deste momento é apresentar aos jovens o itinerário espiritual de Santo Inácio de Loyola e oferecer uma visão de conjunto dos Exercícios Espirituais. A experiência do amor de Deus é o tema mais adequado para as orações desta etapa, e os jovens, a partir da matéria a ser rezada, vão aprendendo os passos da meditação, a forma de fazer o exame da oração e a importância do silêncio.

O conteúdo específico da 2ª Etapa dos EEJ são o Princípio e Fundamento e a 1ª Semana dos Exercícios Espirituais. Trata-se de levar os jovens a rezar sobre: o fim para o qual o ser humano e as demais criaturas são criados por Deus; a relação que o ser humano é convidado a estabelecer com as criaturas; o pecado humano em suas dimensões social e pessoal; e a misericórdia de Deus. Pertencem, ainda, a esta etapa: as regras de discernimento espiritual da 1ª Semana, o exame particular e o exame geral de consciência.

A 3ª Etapa dos EEJ compreende o Exercício do Reino e o começo da  2ª Semana dos Exercícios Espirituais. A matéria para a oração compreende da Anunciação até o início do Ministério de Jesus, ou seja: o batismo, as tentações, o anúncio do Reino, os primeiros discípulos, o sinal em Caná da Galileia, o sermão da montanha etc. O método mais indicado para rezar neste momento, bem como para as seguintes etapas, é a contemplação: ver as pessoas, ouvir o que falam, olhar o que fazem e, depois, refletir para tirar algum proveito. Também se pode iniciar a aplicação dos cinco sentidos corporais. Há regras de discernimento espiritual próprias para a 2ª Semana e que devem ser igualmente bem trabalhadas.

A 4ª Etapa dos EEJ dá continuidade à 2ª Semana dos Exercícios Espirituais. Pertencem a esta etapa: outros mistérios da vida pública de Jesus, tais como: a multiplicação dos pães, a Transfiguração, a Ressurreição de Lázaro etc., até a entrada em Jerusalém, inclusive; a chamada “jornada inaciana” também pertence a esta etapa, isto é: a meditação das duas bandeiras, a meditação das três classes de pessoas e a consideração dos três modos de humildade. Finalmente, os exercitantes farão seu processo de Eleição ou de Reforma de Vida.

Para esta etapa, é fundamental que o jovem esteja avançado no processo de elaboração do seu Projeto de Vida. Supondo que os jovens tenham concluído o processo de Eleição ou a Reforma de Vida, a 5ª Etapa dos EEJ compreende as 3ª e 4ª Semanas dos Exercícios Espirituais, bem como a Contemplação para Alcançar o Amor. Noutras palavras: a Instituição da Eucaristia, o Lava-pés, a agonia no Getsêmani, a prisão, o julgamento, a paixão, a morte e o sepultamento de Jesus; depois, a aparição de Cristo a Nossa Senhora, as aparições do Ressuscitado aos seus discípulos e a sua Ascensão; por fim, a Contemplação para Alcançar o Amor.

Após a experiência das 5 etapas, sugerimos como proposta a atividade que dê continuidade aos temas localizados na 5ª etapa (Paixão, Morte, Ressureição de Jesus e Contemplação para alcançar o amor, sobretudo a última). Chamada “experiência AD AMOREM”, essa proposta deseja aprofundar a experiência dos Exercícios Espirituais, mediante uma atividade enraizada nas fronteiras – missões, voluntariados etc. – e que proporcione ao jovem a experiência de que “o amor consiste mais em obras do que em palavras” (EE 230). Pressupomos que o jovem que experimentou o amor de Deus, por meio das 5 etapas, possui condições de ser um “contemplativo na ação” e “encontrar a Deus em todas as coisas e todas n’Ele”.

Os Exercícios Espirituais em Etapas poderão acontecer uma vez ou várias vezes ao longo do ano. No entanto, é fundamental oferecer aos jovens a possibilidade do acompanhamento personalizado entre as etapas, bem como, momentos de oração, partilhas para que se sinta cuidado e acolhido.

É fundamental que os colaboradores (jesuítas, leigos, religiosos) tenham e conheçam as orientações do Guia Inspirador, bem como o aprofundem através de um programa de formação que considere quatro elementos: 1) estudo sobre o livro e a dinâmica dos Exercícios Espirituais/ Guia Inspirador; 2) estudo sobre o acompanhamento espiritual; 3) estudo de alguns temas candentes (as realidades juvenis) e atuais relacionados aos jovens, pois tais elementos possibilitam uma maior compreensão e aproximação das condições da vida da juventude, com seus anseios e desafios, sobretudo os grupos juvenis mais atingidos pela desigualdade social, proporcionando-lhes segurança e confiança no método inaciano, adaptando-o “às pessoas, circunstâncias, tempos e lugares” e confiando na atuação do Espírito e 4) cultivo de uma familiaridade com Deus, a partir da oração, grupos de partilha e acompanhamento espiritual.

Além dos EEJ em etapas, é necessário sublinhar que muitas pessoas já fazem a experiência dos EE 8 e/ou 30 dias, após as 5 etapas. Convém que todos os colaboradores que ajudam no acompanhamento dos Exercícios façam a experiência dos EE de 8 dias em algum momento, visto que essa vivência é essencial para a compreensão do processo como um todo e para a sua experiência de vida cristã.

Exercícios Espirituais na Vida Cotidiana (EVC)

Os Exercícios na Vida Cotidiana realizam uma das formas de rezar oriundas da experiência humana e espiritual de Santo Inácio de Loyola. Inácio havia registrado as peripécias de Deus em sua vida, tomando notas no que veio a constituir-se, mais tarde, num livro denominado Exercícios Espirituais (EE), cuja duração equivale a aproximadamente 30 dias, transcorridos em clima de silêncio e solidão.

Atento à realidade das pessoas, Santo Inácio deixou a possibilidade de realizá-los no cotidiano. “Quem estiver ocupado em cargos públicos ou negócios importantes, sendo pessoa culta e inteligente, reserve hora e meia cada dia para fazer os exercícios” (EE 19). É importante proporcionar este modo de rezar às pessoas que vivem num ambiento tenso e cheio de ocupações, muito envolvidas com a vida profissional e estudos.

Vale lembrar que a dinâmica do EVC pressupõe um acompanhante. Por isso, é importante que haja colaboradores e que esses acompanhantes disponham de elementos necessários para acompanhar àqueles que desejarem iniciar o EVC. Tal acompanhamento pode ser realizado, periodicamente, por partilhas individuais ou em grupo, seguindo roteiros variados, conforme a opção que se fizer, visto que já existe bastante material disponível e publicado para atender às necessidades e perfis. Assim, as Semanas dos EE vão avançando e sendo aprofundadas, conforme o ânimo e a generosidade de cada exercitante, considerando-se o tempo de que dispõe.